Regras para delivery em condomínio


Antes eram apenas cartas e cartões postais. Poucos tinham uma assinatura de jornais e revistas. Depois vieram os serviços de entregas em casa de móveis e eletrodomésticos. Hoje se entrega em domicílio desde comida até compras de volumes variados em sites brasileiros e estrangeiros. Mas como definir as regras para delivery em condomínio?

 

Só para se ter uma ideia deste crescimento, segundo o Relatório Ecommerce Brasil, o uso da Internet vem aumentando no Brasil.

Foi feita uma previsão de 74% da população usando a internet em 2018, mais do que os 68% em 2017.

Ainda segundo a mesma fonte, dos 68% da população online, estimava-se que 29% comprariam via Internet em 2018.

 

Entregas em condomínio: um nó ainda a ser desatado

regras para delivery em condomínios

 

As regras variam bastante.

Enquanto que em alguns condomínios, a entrada e saída de entregadores dos mais diversos itens é livre, em outros a entrada até os apartamentos ou casas é proibida.

 

Mesmo o condomínio sendo horizontal, o morador deve ir até à portaria para receber a entrega que chega por motoboy, por exemplo.

Desta forma limita-se bastante a movimentação de pessoas estranhas à comunidade condominial.

Veja também:

 

Por outro lado, ainda usando o mesmo exemplo, em muitos condomínios de residências circulam livremente funcionários e prestadores de serviços, como jardineiros, piscineiros e pedreiros, muitas vezes em carros próprios e sem grande fiscalização.

 

 

Diante desta e de outras controvérsias, não existe a forma ideal e sem riscos de conduzir os serviços de delivery de maneira segura.

Mas há alguns consensos, principalmente sobre o recebimento de encomendas e correspondências que podem e devem ser aplicados.

 

Empresas especializadas em administração condominial são unânimes no conceito que alia qualidade de vida e segurança com uma política ampla e discutida entre os próprios moradores.

 

Cuidados a serem tomados quanto ao delivery em condomínio

 

regras para delivery em condomínios

 

Na hora de estabelecer regras sobre o delivery em condomínio, é necessário considerar fatores que vão desde as características arquitetônicas, dimensões do empreendimento e malha viária interna até as composições econômicas e financeiras das unidades condominiais, além das faixas etárias dos moradores.

 

Tudo isso vai determinar a política de segurança que inclui as regras das entregas no condomínio.

Há alguns cuidados que são bastante importantes na discussão em assembleia sobre o tema.

 

O mais fundamental é que o acordo fique estabelecido no regimento interno, de forma que as regras de entrada e saída de entregadores no condomínio não mude a cada gestão de síndico ou chegada de novos moradores.

 

Outro detalhe importante é definir as exceções para que não virem regras.

Por exemplo, uma pessoa mora sozinha e tem ou está com problemas de saúde que impossibilitam a ida até à portaria.

Como agir para que ela não fique privada de receber qualquer tipo de encomenda?

 

Veja algumas decisões tomadas na maioria dos condomínios

 

  • Entregadores de botijões e galões de água

regras para delivery em condomínios

 

São itens de grande volume e peso.

Neste caso, obrigar a entregar na portaria traz uma série de problemas para o morador levar até a sua unidade.

O ideal é cadastrar uma ou duas empresas para que só elas sejam autorizadas a entrar no condomínio.

 

Claro que isso deve vir acompanhado da verificação dos documentos e monitoramento do percurso nas áreas internas.

O cadastramento prévio de apenas um ou dois fornecedores pode ser útil também no caso de remédios e outros artigos emergenciais.

 

  • Comidas e pequenos volumes

regras para delivery em condomínios

 

O melhor é liberar que os entregadores de pequenos volumes se dirijam à portaria principal.

Os próprios porteiros armazenam e encaminham aos destinatários.

 

Cabe a eles, aos zeladores ou equipe de segurança cumprir a forma estabelecida pelo condomínio para fazer chegar aos responsáveis por cada unidade condominial.

Quando precisar pagar a entrega, o condômino deve garantir que o valor a ser pago esteja previamente na portaria.

 

Gostou do post? Conheça também as principais regras de condomínio.