animais em condomínio pets

Tudo sobre animais em condomínio

Animais em condomínio tendem a gerar controvérsias, e uma decisão do STJ gerou dúvidas sobre o tema. Veja as regras para pets em condomínio.

O tema é controverso e a mais recente decisão do STJ sobre o assunto colocou mais lenha na fogueira. Não é de hoje que animais em condomínio suscitam discussões calorosas entre os moradores. E demandam regras que devem ser decididas em assembleia, fiscalizadas e cumpridas.

Mas quais os limites para manter animais em apartamento e nas áreas comuns?

Até onde o direito de um fere o direito do outro?

regras para animais em condomínio

A situação dos animais em condomínio gerou um parecer do Superior Tribunal de Justiça que, na prática, não mudou muito o que o Código Civil já estabelecia anteriormente.

A decisão do STJ ocorreu em 14 de março de 2019 e impôs que a proibição de criação de animais em apartamentos ou em casas que integram um condomínio tenha sempre uma justificativa.

Sendo assim, torna-se ilícito proibir animais que não ofereçam riscos à higiene e à saúde dos moradores.

Animais em condomínio: O que diz o Código Civil?

animais em condomínio pets

Segundo o artigo 1.336, no capítulo IV, são deveres do condômino dar às suas partes a mesma destinação que tem a edificação, e não as utilizar de maneira prejudicial ao sossego, salubridade e segurança dos possuidores ou aos bons costumes.

Diante disso e da determinação do STJ, está errada a interpretação de que não se pode mais impedir que moradores de condomínio mantenham animais nas suas unidades, sejam apartamentos ou casas.

Se eles trouxerem problemas ou risco comprovado à saúde, segurança, sossego, salubridade e aos bons costumes, é possível sim proibir.

Esta é uma forma de proteger a integridade dos demais moradores.

animais em condomínio pets

Aqui, vale lembrar que segundo a Organização Mundial da Saúde, na última década 75% das novas enfermidades que afetaram a saúde humana foram causadas por patógenos de origem animal, como cachorros, pássaros, gatos e roedores. Tais doenças são transmitidas, geralmente, pelas fezes dos animais.

Entre elas, estão a toxoplasmose, o bicho geográfico e a psitacose (febre do papagaio).

Portanto, a higiene dos animais é importantíssima e um dever dos moradores que têm esses animais.

Os bichos devem, também, ser vacinados, impedidos de sujar as áreas comuns e estarem sempre sob total vigilância de seus proprietários.

Regimento Interno deve orientar as normas relativas a animais em apartamentos

Para garantir que haja disciplina na comunidade condominial, as regras sobre manter animais em condomínio devem ser consensadas e estipuladas no Regimento Interno ou na Convenção.

Por exemplo, quais são as normas restritivas no que se refere à circulação de animais nas áreas comuns?

animais em condomínio pets

Normalmente, a orientação é que eles sejam carregados no colo do dono. Regra complexa que atrapalha demais quem tem animais de grande porte.

Já para as raças mais perigosas, como filas, pitbulls, rottweilers e doberman, vale a exigência do uso de focinheiras.

Pode haver, também, se assim optado pela maioria dos condôminos – com aprovação de ⅔ deles -, a proibição de permanência de animais nas áreas de lazer, como salão de festas e entorno da piscina.

Comportamentos que ferirem o regulamento interno podem ocasionar notificação formal, advertências e até multas ao dono do animal.

Como sempre, é preciso haver bastante bom senso entre todos os envolvidos.

Cabe ao síndico orientar os moradores e conversar com os donos de animais caso haja problemas como volume alto de latidos ou odor muito ruim, por exemplo.

Se não houver acordo, a administradora do condomínio deve entrar em cena para trazer uma solução ao conflito.

Um prato cheio para os síndicos

animais em condomínio

Você sabia que o Brasil é o quarto país do mundo, em número de pets?

Pois é. Hoje são mais de 132 milhões deles nos lares das pessoas.

Ou seja, síndicos têm várias situações de conflitos e dilemas sérios para enfrentar neste sentido.

Por isso, precisam conhecer bem a legislação, principalmente no que se refere à proibição de animais no condomínio.

Melhore sempre os relacionamentos em condomínios e saiba o que pode e o que não pode acompanhando nossos artigos!